Recursos da/na web que permitem a disponibilização de conteúdos e processos educacionais

GD Star Rating
loading...
GD Star Rating
loading...

Por Dalton Lopes Martins

1. Introdução

Há várias maneiras de se enxergar uma abordagem para o tema recursos da/na web que permitem a disponibilização de conteúdos e processos educacionais. Pode-se falar, por exemplo, de recursos físicos como perfil de hardware desejado, topologia de rede de dados, voz sobre IP, softwares de autoria e tecnologias que, independente da plataforma, sejam voltadas a proporcionar maior interação entre o usuário e a web. Esse artigo, por entender que disponibilização de conteúdo implica a capacidade de acessar e interagir com a informação, escolheu esta última opção para centrar seu foco de estudo

2. Embasamento

Considero que a pesquisa realizada para o tema proposto foi a mais difícil até o presente momento do curso. Tive dificuldades para encontrar um foco dentro da vasta gama de opções que o tema permite. Isso somente foi resolvido com a leitura do texto “Interação na Web” (ver bibliografia), que permitiu encontrar um caminho de pesquisa. A partir deste ponto, a necessidade de se aprofundar em algumas tecnologias levou ao encontro dos outros textos utilizados; explorando-se dessa forma temas como PHP, Servlets, JAVA, CORBA e JSP.

3. Opinião

Segundo Raposo et al. (1999), as grandes vantagens em se desenvolver aplicações disponibilizadas via web estão associadas à fácil acessibilidade: as aplicações ficam disponíveis a uma cada vez mais ampla gama de usuários da web e elas podem ser acessadas de praticamente qualquer lugar (de casa, do trabalho, ou mesmo em trânsito, através da computação móvel); somada a estas vantagens, ainda existe a independência de plataforma das aplicações web.

Para tornar viável as vantagens acima citadas, deve-se disponibilizar a informação, o conteúdo, de forma eficiente e inteligente, de maneira a maximizar um dos maiores interesses na web: a interação. No caso educacional, objeto deste estudo, a interação torna-se ainda mais importante, pois segundo os novos paradigmas da educação, o aprendizado é um processo construído pelo aluno e com intensa realimentação por parte do educador via os recursos disponíveis.

A partir disto, torna-se necessária a disponibilização de tecnologias que implementem esse nível de interação desejado entre o usuário e o objeto de seu estudo. No entanto, as tecnologias básicas da web (HTTP e HTML) ainda impõem algumas limitações no que diz respeito à interação com as aplicações: falta de controle sobre a aparência da interface, o protocolo HTTP não suporta conceito de sessão (possibilita maior controle da comunicação), lentidão de realimentação, não garante taxa de transmissão mínima, entre outros (Raposo et al., 1999).

Porém, a web tem evoluído de sua antiga estrutura estática (o servidor web enviava ao usuário apenas páginas previamente construídas e com conteúdo estático) implementada apenas com hipertexto puro para aplicações mais dinâmicas (o servidor web é capaz de gerar páginas dinamicamente conforme informações obtidas através do usuário, inclusive realizando processamento na máquina local), que permitem intensa troca de informação entre o usuário e o servidor web. Essa evolução tem ocorrido graças a tecnologias como a CGI (Common Gateway Interface), ECMAScript, Java, Java Servlets, Java Beans, Java 2D, Java 3D, JSDT (Java Shared Data Toolkit), CORBA, PHP, VRML, entre outras.

Segundo Volkheimer (2001), Servlets são programas que rodam no lado do servidor e são capazes de gerar conteúdo dinamicamente, ou seja, eles recebem dados do usuário, realizam um determinado processamento e retornam uma página HTML específica para os dados de entrada. Isso, como se pode imaginar, permite implementar processos educacionais como, por exemplo, análise da resposta do usuário a uma determinada questão e uma realimentação por parte do software educacional com base nos dados de entrada.

Já a PHP é uma linguagem de script que é acoplada ao HTML e é interpretada no lado do servidor. Ela é mais direcionada ao trabalho com bancos de dados, já que se relaciona com Oracle, Sybase, Informix, entre outros (Brockmeier, 2000). A PHP auxilia na disponibilização de consultas a bases de dados e no cruzamento de informações, suportando pesquisas e estudos relacionados aos dados analisados. A tecnologia CORBA pode ser utilizada com o mesmo propósito, no entanto, ela possui a vantagem de gerenciar um grande número de usuários ao mesmo tempo, sendo portanto importante no suporte a aplicações que possuem alta demanda de acesso.

Portanto, pode-se concluir que essas tecnologias facilitam e tornam possível a disponibilização de conteúdo e processos educacionais na web, tornando-se dessa forma viável a implementação dos novos paradigmas educacionais através da interação proporcionada pela web.

4. Contra-posição

Os textos utilizados para a elaboração do artigo apresentam as tecnologias e suas características, portanto, não possibilitam margem para contra-posição a algum argumento conceitual.

5. Bibliografia

1. BROCKMEIER, Joe (2000). Introduction to PHP. Linux Magazine, 2001.
2. MORGAN, Bryan (1997). CORBA meets Java. JavaWorld.com, 1997.
3. RAPOSO, Alberto B., MAGALHÃES, Léo P., RICARTE, Ivan L. M. (1999). Interação na WEB. Proposta JAI’99, 1999.
4. VOLKHEIMER, Jeff (2001). Introduction to Servlets, JSP and Servlet Engines. Site DevCentral, 2001.

Sobre XuTi Game Development